Topo da página

Pesquisa

Conteúdo do site

Coluna esquerda

Coluna do centro

Livros sobre desertificação e seca no Brasil são lançados na AL

Presidente da Funceme e coordenador de pesquisa do CGEE apresentaram as publicações

Os livros “Desertificação, degradação da terra e seca no Brasil” e “Degradação neutra da terra, o que significa para o Brasil?” foram lançados na última sexta-feira (17/06), na Assembleia Legislativa, durante sessão especial pelo Dia Mundial de Combate à Desertificação e à Seca. Ao apresentar a publicação sobre degradação da terra seca no Brasil, o presidente da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), Eduardo Sávio, destacou que vários especialistas participaram da edição, coordenada pelo Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE). “A gente mostra que 13% da área do Estado sofre com a desertificação e 100% do território é passível de ser desertificado", assinalou, ao informar que o livro pode ser baixado no site do da CGEE, parceira da Funceme na edição.   



De acordo com Eduardo Sávio, o trabalho oferece uma visão geral das áreas secas e suscetíveis à desertificação e esclarece sobre a cobertura vegetal e as tecnologias utilizadas para fundamentar o trabalho, tais como fotos de satélite. Ele acrescentou que as secretarias do Estado envolvidas com o setor produtivo devem se engajar no combate à seca. Ele salientou que a Funceme, atualmente, está empenhada em promover a recuperação de uma área do Vale do Jaguaribe. “A recuperação dessas áreas leva muito tempo, é preciso um esforço continuado”, frisou.

O livro “Degradação neutra da terra: o que significa para o Brasil?”, apresentado pelo coordenador de pesquisa do CGEE, Rocha Magalhães, "tem a vantagem de ser lido facilmente e também está disponível no site da instituição”. Segundo ele, o projeto teve início na conferência internacional Rio +20, sobre o meio ambiente.  “Conseguimos levar o tema desertificação do Nordeste para a conferência e, após muita negociação da embaixada brasileira, o tema foi incluído no documento da conferência.”



Segundo Rocha Magalhães, a “publicação reúne as principais conclusões e pontos importantes debatidos em uma oficina técnica que reuniu um grupo de especialistas para discutir as implicações para o Brasil da degradação das terras".

Após a apresentação dos livros, houve a entrega do prêmio Ambientalista Joaquim Feitosa à Cerâmica Torres Ltda. O empreendimento está localizado em Sobral desde 15 de abril de 1978, sendo dirigido desde 1983 pelo engenheiro Fernando Ibiapina. Atualmente, a empresa desenvolve o programa Produção Mais limpa, que visa à redução ou à eliminação de geração de resíduos sólidos.


Fonte: Assessoria de Comunicação da AL-CE
17 junho de 2016

Coluna direita

Previsão para Fortaleza

 ◄◄  ◄  ►►  ► 
SETEMBRO 2019
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Voltar ao topo da página

Rodapé da página

Avenida Rui Barbosa, 1246, Aldeota - Fortaleza/CE - CEP.: 60.115-221

Fone: (85) 3101.1088 - Fax: (85) 3101.1093 - Email: funceme@funceme.br

Copyright © 2014 - Governo do Estado do Ceará. Todos os direitos reservados