Topo da página

Pesquisa

Conteúdo do site

Coluna esquerda

Coluna do centro

Inverno no Hemisfério Sul: o que muda no Ceará

Efeitos são pouco perceptíveis, mas temperaturas médias e mínimas têm leve queda em Fortaleza e no Interior

Nesta semana começou oficialmente o inverno no Hemisfério Sul, mais precisamente no dia 20 de junho. Em vários estados brasileiros, a população se prepara para a estação do ano cuja principal característica é a queda nas temperaturas. Porém, no Ceará, devido à proximidade com a Linha do Equador, os efeitos são pouco perceptíveis, pois a variação nos termômetros é bem discreta.  A meteorologia explica.

“Quanto mais próximo da Linha do Equador, menor é a diferença de temperaturas entre o Verão e o Inverno. É o que observamos no Ceará, onde as máximas, médias e mínimas variam pouco no decorrer do ano. É difícil perceber o tempo mais frio aqui durante o Inverno porque o termômetro pouco muda em relação ao Verão”, explica o meteorologista Raul Fritz, da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme).



Ele diz que na Bahia, em Sergipe, e nos estados do Sudeste, Sul e Centro-Oeste, por estarem mais distantes da Linha do Equador, o frio é bem mais perceptível. “Além disso, sistemas frontais (frentes frias) atuam principalmente nessas regiões, podendo causar quedas bruscas nas temperaturas. Aqui no Ceará esse tipo de sistema não atua”.

Noites mais frias

Ainda assim, o calor tão característico do Ceará tende a aliviar entre junho e agosto. Se durante o dia as temperaturas máximas ficam em torno dos 30°C, nas noites e nas madrugadas do Inverno as mínimas deixam o tempo mais agradável. Dá até para dizer que faz um friozinho. Em Fortaleza, o termômetro pode marcar 22°C nessa época do ano enquanto as mínimas em dezembro são de 24°C. No Interior, a queda também é discreta, mas o termômetro pode marcar menos de 20°C. Em Barbalha, a mínima de junho é de 19°C e em Guaramiranga, 16°C.

“Outro fator que podemos destacar é a sensação térmica. Nessa época do ano os ventos começam a se intensificar até chegar ao mês de setembro, quando as médias de velocidade são maiores e as rajadas são mais fortes. As temperaturas um pouco mais baixas e o vento ficando mais forte resultam numa sensação térmica de mais frio”, complementa Fritz.
 
Posicionamento em relação ao Sol

A estação mais fria do ano é iniciada no Hemisfério Sul quando acontece o alinhamento do Sol com o Trópico de Câncer, no Hemisfério Norte. Nessa época do ano, o distanciamento do principal astro do Sistema Solar caracteriza o Inverno em partes do globo como América do Sul, Oceania e Sul da África. Ao mesmo tempo, o Sol mais próximo da metade norte da Terra, caracteriza o Verão na Europa, Ásia, Norte da África e Américas do Norte e Central.

Período de chuvas no Ceará não ocorre no Inverno

Boa parte dos cearenses chama equivocadamente de Inverno a quadra chuvosa oficial do Estado (quadrimestre fevereiro-março-abril-maio). Estes meses de maiores médias de precipitação no Ceará fazem parte do Verão e do Outono no Hemisfério Sul.

Esse equívoco é compreensível, justamente pela quase imperceptível variação entre as estações do ano no Estado. Dessa forma, quando temos dias bastante chuvosos entre fevereiro e maio, ou seja, ainda no Verão ou no Outono, as temperaturas tendem a baixar e a população faz uma associação entre o frio do tempo chuvoso com as características do Inverno.  


Assessoria de Comunicação da Funceme
22 de junho de 2016

Coluna direita

Previsão para Fortaleza

 ◄◄  ◄  ►►  ► 
NOVEMBRO 2019
Seg Ter Qua Qui Sex Sab Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Voltar ao topo da página

Rodapé da página

Avenida Rui Barbosa, 1246, Aldeota - Fortaleza/CE - CEP.: 60.115-221

Fone: (85) 3101.1088 - Fax: (85) 3101.1093 - Email: funceme@funceme.br

Copyright © 2014 - Governo do Estado do Ceará. Todos os direitos reservados